segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Gotas de Orvalho

Gotas de sereno em uma manhã de orvalho.
Gotas de sangue de um coração ferido.
De lágrimas da alma machucada.
Gotas que não deveriam existir.
Que não seriam gotas, caso amanhecesse ensolarado.
São os enigmas do amor,
Os enigmas do coração.
Tão forte é o sentimento que às vezes esquece de si.
Mas ao acordar para a vida,
Desperto, sente como um aperto,
O abandono de seu sentir.
Sentir-se importante para si e para o mundo.
Com gotas serenas sobre a alma,
Resgatando ao coração a calma,
Para então melhor amar.
(Adriana Aguiar Ribeiro)

2 comentários:

  1. Gotas de poesia orvalhada.
    Beijos doces.

    ResponderExcluir
  2. que lindaaa... *.*
    tmb adoro poesias... lê-las e escrevê-las...

    ResponderExcluir